Sem categoria

Cuidado! Buracos na pista!

Por Dudu Costa:

Hoje, o motociclista, no Brasil, precisa “mais” do que dirigir, precisa “pilotar” sua moto para enfrentar, além do trânsito caótico das metrópoles e o perigos das estradas, os temidos “defeitos de pavimentação”.

Há muito tempo, a qualidade da pavimentação vem caindo e o volume de veículos (assim como o descaso dos órgãos públicos) aumenta a cada quilometro de asfalto mal recapeado. Buracos, rachaduras, trincas, desníveis e uma infinidade de outros obstáculos (que já causam transtornos aos motoristas de carro) tornam-se autênticas “provas de pilotagem” para os motociclistas. Além de provocar grandes sustos, podem ocasionar acidentes.
Existem certas técnicas para enfrentar os perigos da pavimentação. A primeira delas é saber que nosso cérebro esta programado para nos guiar para onde nossa visão aponta. Por exemplo: se você olhar para o buraco, pode ter certeza de que vai passar por cima, afinal, seu foco estava nele. No entanto, se avistá-lo e focar no desvio, você conseguirá traçar uma alternativa e se livrará do buraco. Agora, caso seja inevitável, freie o máximo que puder antes do buraco; lembre-se: é muito arriscado frear “no” buraco, pois a suspensão estará fechada e o impacto não será absorvido, causando um choque bem maior e uma possível perda de direção.

Cuidado! Buracos na pista! - Blog Ituran

No caso de um desnível, aqueles trechos inacabados de recapeamento do asfalto (nos quais máquinas riscam o piso antigo, ao passo que outras aplicam o novo), a atenção deve ser redobrada: os degraus devem ser transpostos da forma mais perpendicular possível. Quanto menos paralelo ao desnível, melhor; afinal, a exemplo do que ocorre em uma guia rebaixada, a frente da moto poderá escorregar porque o pneu dianteiro não está em contato com a banda de rodagem e apenas com o ombro, ocasionando a falta de aderência e um risco de queda.
Outro descaso perigoso para com as motocicletas são as faixas de rolagem, sinalização e pedestres. Quando chove, sua aderência é mínima – e passar por cima das faixas quando estão molhadas é um convite à queda! Frear ou mudar de direção bruscamente são manobras de altíssimo risco! Assim, não esqueça: “choveu, todo cuidado é pouco! Olho nas faixas!”
Amigos: enquanto os valores arrecadados através do IPVA, por exemplo, não forem bem aplicados pelo governo, muita atenção por onde andam; coloquem em prática as técnicas de pilotagem e não esqueçam da manutenção: suspensão, freios com óleo trocado e funcionamento checado, pneus em bom estado e calibrados… Com esses cuidados, os obstáculos serão transpostos sem grandes sustos. Motocicleta bem cuidada é garantia de pilotagem segura!
Referência: Revista MotoAdventure set/2012,
 
Ituran – Sempre com você