Cinto de segurança para os pets

Além de proteger o ser humano, o cinto de segurança também tem a função de assegurar os pets. Muitas pessoas trafegam em bairros próximos, ou até mesmo fazem viagens longas, sem que seu animalzinho fique seguro. A maior justificativa, portanto, para não colocar o cinto é dizer que o pet fica incomodado ou muito agitado, já que se sente preso. Além disso, algumas pessoas ainda afirmam que não é necessário assegurá-los, uma vez que já estão protegidos no banco de trás.

Independente da maneira como o condutor dirige, fatores externos podem prejudicar a viagem e ainda machucar o pet. Freadas bruscas, por exemplo, ou até mesmo manobras de emergência podem arremessar o bichinho para fora do veículo. Além de perigoso, tais ações podem causar acidentes.
Modelo de cinto de segurança para pets
Existe uma legislação no Código de Trânsito Brasileiro (CBT), que padroniza como deve ser feito o transporte de animais dentro de veículos. Apesar de não citar a obrigatoriedade do cinto, ele é essencial e totalmente recomendado. Além disso, evita que o condutor acarrete uma multa.
Não existe um modelo de cinto ideal, porém é válido deixar evidente que o melhor deles é aquele tem um design de peitoral, cujo modelo possa manter todo o corpo do animal protegido e que será preso ao cinto de segurança, mantendo reduzida sua mobilidade.

Dessa forma, seu amiguinho de quatro patas fica confortável e ainda pode se movimentar. O mais importante de tudo isso, é que ele fica seguro dentro do veículo. Além de testar o equipamento no bichano, avalie também a qualidade do produto. É importante ressaltar que além dos cães, os gatos também podem fazer uso desse modelo de cinto. Entretanto, o mais recomendado para os felinos, é que sejam transportados em caixas específicas.
Lembrando que as caixas devem ser presas a um cinto de segurança. Assim você garante proteção total para o animalzinho. É possível encontrar cinto de segurança para pets em clínicas veterinárias ou em pets shops, porém devem ser certificados com eficácia comprovada.
Dica Ituran
Se o seu bichinho não tiver acostumado com o cinto, inicie um processo de adaptação. Coloque o animal dentro do carro ainda desligado, em seguida aproveite para posicionar o peitoral. É bastante comum que o animal fique assustado, já que não está habituado com o cinto.
Faça carinho no pet para que ele fique mais calmo e se sinta mais seguro. Aplique essa técnica até que o animal não apresente mais nenhuma resistência. Depois, dê algumas voltas pelo seu bairro para que ele se acostume. Após o todo esse processo, com o animal já habituado, você já pode fazer viagens longas.
Faça um comentário no nosso post e nos diga como você faz para transportar o seu pet. Lembrando que você também pode compartilhar esse conteúdo nas suas redes sociais, já que muitas pessoas ainda não sabem o quão importante é o uso do cinto para os animais. Aproveite para acompanhar nosso infográfico sobre os 5 itens que deixam o seu carro mais seguro.

ituran-logo-mobile-svg

Por : Ituran Brasil

Você também pode gostar