Cinto de segurança: saiba a importância

Poucos passageiros têm o costume de usar o cinto de segurança no banco de trás, embora a utilização desse item seja obrigatória. A Pesquisa do Ministério da Saúde, realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que apenas 50,2% da população usam o cinto quando estão no banco traseiro de carro, van ou táxi, enquanto 79,4% dos entrevistados com 18 anos ou mais afirmam que usam sempre esse item de segurança no banco da frente.
blog
Contudo, o uso do cinto no banco de trás reduz mais o risco de morte, pois, em uma colisão, impede que o corpo dos passageiros seja projetado para frente, atingindo o motorista e o carona. O seu uso é ainda menor na zona rural, onde 44,8% disseram ter o hábito de colocar o cinto. Entre as regiões, Norte e Nordeste registram os índices mais preocupantes, 36,7% e 39,5%, respectivamente. Enquanto no Sul, a população parece demonstrar ter mais consciência da importância deste item de segurança: por lá, 65,1% das pessoas com 18 anos ou mais disseram sempre usar cinto no banco de trás.
“Ao utilizar o cinto de segurança no banco de trás, o passageiro também está protegendo o motorista e o carona, as pessoas que estão na frente do carro. O uso do cinto de segurança no banco da frente e, principalmente, no banco de trás pode evitar muitas mortes. Milhares de pessoas perdem suas vidas no trânsito e o uso dos itens de segurança pode reduzir essa estatística. O Brasil também está buscando cada vez mais fortalecer a nossa ação no campo da prevenção e do monitoramento. Essa é uma discussão que o Ministério da Saúde vem fazendo junto com outros órgãos do governo”, destacou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.
A legislação tem a intenção de proteger os usuários do veículo. Usar o cinto de segurança no banco traseiro é forma de defesa e proteção, que pode salvar muitas vidas.
Se você ficou com alguma dúvida, basta deixar seu comentário que nós da Ituran responderemos!

ituran-logo-mobile-svg

Por : Ituran Brasil

Você também pode gostar