Reposição de peças: os cuidados necessários

É de praxe que sempre apareçam algumas dúvidas no momento da revisão veicular. Principalmente, quando se trata da reposição de peças: quais delas contam com uma melhor relação custo-benefício e quais podem prejudicar o funcionamento do carro? Atualmente, no mercado de autopeças, existem inúmeras opções de itens para reposição, sejam eles recondicionados ou originais. O mais seguro, segundo especialistas, é saber em totalidade toda a procedência de cada peça a ser substituída no carro. Pensando em te ajudar, nós do Blog da Ituran separamos algumas informações importantes para você se atentar na hora de executar a reposição de peças do seu veículo.
reposicao-de-pecas
Atenção à qualidade das peças: 
Na maioria das vezes, principalmente por conta dos preços atrativos, as pessoas dão preferência às peças recuperadas por algumas oficinas. Essas peças costumam custar cerca de um terço em comparação com a equivalente original de fábrica, mas costumam durar bem menos.
Alguns especialistas afirmam que atualmente existe uma certa negligência quanto à qualidade das peças que têm sido utilizadas para a reposição. Atrás de economia, muita gente tem colocado a segurança do veículo em cheque. Por isso, é imprescindível que você tenha certeza da qualidade das peças na hora da reposição de peças.
De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, é responsabilidade exclusiva do mecânico a reposição de qualquer peça. O que ressalta a importância de dar preferência com profissionais de confiança que trabalhem com peças de origem confiável.
Os diferentes tipos de peças:
– Remanufaturadas: São aquelas peças que foram utilizadas por um certo período de tempo e, devido a algum problema, foram recolocadas na linha de produção para a troca dos componentes com defeito, desgastados ou fora do padrão.
– Recuperadas: Estas são as peças que se desgastaram e podem ser consertadas já na oficina, na maioria das vezes, de maneira artesanal, aumentando a vida útil do item em questão.
– Recondicionadas: Existem três tipos de peças recondicionadas: de produção original usada, de reposição original, também usada, ou, ainda, de reposição usada. Para reestabelecer suas funções e os requisitos técnicos originais, elas podem ser colocadas num processo industrial e/ou técnico.
Não arrisque com as famosas “gambiarras”:
Distinguir a diferença entre uma peça original e uma mal recuperada pode ser uma tarefa complicada, além de extremamente necessário. Isso porque as peças mal recuperadas colocam em risco todo o sistema do automóvel, prejudicando seu desempenho e seus índices de segurança. E quando se trata de carros, é importante ressaltar que segurança vem sempre em primeiro lugar.

ituran-logo-mobile-svg

Por : Ituran Brasil

Você também pode gostar