Viajar com crianças e a lei da cadeirinha

No ano de 2017 em São Paulo, foram registradas mais de quatro mil multas a motoristas que não contavam com a cadeirinha infantil para automóveis. E só no primeiro semestre de 2017, o número atingido foi de 2.126. Isso acontece devido a legislação brasileira que conta com a famosa e temida “Lei da cadeirinha” que repreende como infração gravíssima o ato de transportar crianças fera dos padrões estabelecidos, como por exemplo fora da cadeirinha. É importante ressaltar que tal ato, além de uma infração grave com direito à multa, também é uma atitude irresponsável que coloca a vida de crianças em perigo. Para te ajudar a solucionar possíveis dúvidas, nós do Blog da Ituran preparamos algumas informações importantes sobre a Lei da cadeirinha que podem ser úteis. Confira:
shutterstock_336815312
A lei da cadeirinha
O que é comumente conhecido como lei da cadeirinha, na verdade, é um texto com força de lei. A Resolução 277 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), regulamenta o transporte de crianças com idade de até 7 anos e meio no território brasileiro. A obrigatoriedade da utilização da cadeirinha se iniciou em 1º de setembro de 2010, e passou por um período de adaptação de dois anos. Essa resolução tem o objetivo de certificar que o transporte de crianças em automóveis seja realizado em condições mínimas de segurança.
As regras para cada idade
Os modelos de cadeirinha alteram de acordo com a idade de cada criança:
– Com até 1 ano de idade, os bebês devem ser transportados no bebê conforto, no banco de trás do carro no bebê, de costas para os bancos dianteiros.
– Para crianças com idade entre 1 e 4 anos, elas devem ficar no banco traseiro, numa cadeirinha presa com o cinto de segurança.
– Para crianças entre 4 e 7 anos e meio, há a necessidade de utilização de um assento de elevação no banco traseiro.
– Crianças entre 7 anos e meio e 10 anos devem ficar no banco de trás apenas com o cinto de segurança.

ituran-logo-mobile-svg

Por : Ituran Brasil

Você também pode gostar